Acadêmico da UENP retorna de intercâmbio na Irlanda

Escrito por  Coordenadoria de Relações Internacionais Quarta, 15 Julho 2015 09:43

  O acadêmico Pedro Henrique Noronha Quesada, do curso de Ciências Biológicas da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Campus Luiz Meneghel de Bandeirantes, realizou, por 11 meses, intercâmbio na modalidade de graduação sanduíche na Irlanda. A mobilidade foi realizada por meio do programa Ciências Sem Fronteiras do Governo Federal, com o apoio da Coordenadoria de Relações Internacionais da UENP.

  De junho de 2014 a maio desse ano, Pedro estudou na Mary Immaculate College (Faculdade Maria Imaculada), localizada na cidade de Limerick, na Irlanda. Durante o período em que esteve na Irlanda, Pedro foi aluno do curso de Geografia, com ênfase em Ciências Naturais, que ofereceu viagens de campo por boa parte do país, respeitando e assimilando os conteúdos da grade curricular da UENP.

  Pedro conta que o maior desafio foi o inglês. “Uma nova língua é difícil até para quem já a domina, por isso a CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) ofereceu alguns meses de curso de Inglês antes de embarcar para a nova Universidade”, comenta. “No começo foi difícil acostumar com os novos métodos e regras da Universidade. Todos os trabalhos são redações de no mínimo duas mil palavras, mas para isso existem diversos órgãos no campus para te auxiliar”, explica o estudante.

  Ao retornar para o Brasil, Pedro ressaltou que o intercâmbio é uma experiência sem igual. “O período engrandece a pessoa e aumenta as maneiras de enxergar o mundo. As novas descobertas e os novos conhecimentos fazem com que a experiência acadêmica seja muito importante. Estar em outro país, em outra universidade, com pessoas e idioma diferentes, torna-se algo muito importante”.

  Conforme salienta a coordenadora de Relações Internacionais da UENP, Eliane Segati Rios Registro, participar do programa Ciência Sem Fronteiras, na modalidade graduação sanduíche, dá a oportunidade aos alunos de conhecerem um diferente mundo acadêmico. “Esperamos que o resultado dessa experiência contribua, de fato, para a vida de nossos alunos e para o desenvolvimento da UENP nas mais diferentes esferas”, finaliza Eliane.

Lido 1532 vezes